Skip to content

Correspondência Trocada VI

by em 30/11/2011

As respostas aos poemas escritos na prisão tardaram em chegar, algumas cartas perderam-se no caminho, outras ficaram retidas, outras ainda abertas e extraviadas.

sem título

volto disseste pouco
antes desse gradeado
passe-partout – a distância
férrea do teu retrato.

de infantil ficaram
os teus gestos pagados
caro o carro o amarelo
do meu sorriso descendo

pela rua de sentido único
da vida que resta no bairro.
do varandim as flores

têm o tom de espera destes
vinte anos os meus os teus.
tempo de um erro se apagar

Benjamim Machado

Sobre Retrato

Pequenos nós afastam-nos de algumas coisas, imitam os nós dos dedos, separam-nos de algumas coisas se nos prendem. A grande âncora que quando o barco apodreceu os velhos deixaram a secar junto ao muro. A rapariga sentava-se junto dela à espera do irmão. Assim aprendemos que o peso de algumas memórias fica pesando sobre nós sem nos esmagar. Insinua-se como companhia, como uma voz que nos falasse ao fim de uma tarde num pátio onde bate o sol. Uma calma nas coisas que nos é alheia e não pode ser explicada. A geometria eficaz de um passe certo num meio de um jogo de bola. O jogador de damas que joga tendo previsto três movimentos de avanço. Pequenas passagens que o pensamento sugere em coisas que estão fechadas. A grande âncora aparece cortada pelo sol no retrato. Mesmo as variações de cor mais pequenas são agora visíveis.

Tatiana Faia

Anúncios
Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: