Skip to content

A Reunião

by em 04/11/2011

Para além de Camilo Silva, participaram na reunião o seu assistente, o Cardoso, e mais seis jovens. A Susana, o Kedy, o Jublai e a Vânia foram os mais “vocais”, surgindo imediatamente com propostas para integrarem vários grupos no bairro. Eles perceberam claramente que é um projecto da Quinta do Mocho, a ser feito pelos participantes, e não tanto pelos artistas vindos de fora mais a sua participação. Isto gerou uma corrente de confiança e entusiasmo, já que facilmente aqueles que falaram surgiram logo com ideias concretas de como usar a proposta para a comunidade. À saída, encontrámos vários jovens. Sucedeu-se de forma informal um processo de negociação. Todos os presentes se comprometeram a participar no projecto. Esta postura denotou confiança, mas não sejamos ingénuos: tudo é presente; o compromisso deles é emocional, resulta da relação que se estabeleceu naquele momento. Nada nos garantiu a participação destas pessoas em concreto; não é que eles estejam a mentir; é a própria natureza do seu modo de vida; se o próximo dia os levar para perto do espaço de encontro, é possível que entrem e participem; mas caso aconteça algo à mesma hora, ou recebam um telefonema a meio do trabalho, nada os poderá demover de desaparecerem por uma razão tão forte e plausível como aquela que os levou a envolverem-se…

Ficámos a saber que existe um grupo de dança de raparigas onde os rapazes não participam e um grupo de dança de rapazes kuduristas, a Associação Agep da qual fazem parte a Susana e o Kedy e um grupo de rapazes de rua que costuma parar na rua, os MB ( Moka Bofia), e que representa a maior preocupação do coordenador na integração dos jovens em actividades desta natureza. Existe um conflito latente entre os próprios moradores em relação a gostos musicais, interesses culturais, de mudança de rua para rua, de atitudes dispersas e diferentes perante a vida e postura no bairro. Vivem aqui, e aqui desenvolvem a sua vida na esperança de um dia tudo ser mais positivo ou de haver mudança, mas esperam pacientemente ou sem interesse que as coisas um dia mudem. foram desalojados do antigo bairro onde entretanto foram construídos apartamentos de luxo. Quando a comunidade foi realojada começou a confusão/conflito que ainda hoje representa o ambiente que se vive no bairro.

Anúncios
Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: